6.2.07

Prólogo - Parte 02

Once Upon a Time in New Mexico 02/10




O cair da noite repentino, apanhou de surpresa o jovem alto e de constituição física considerável que caminhava solitário a beira da estrada. Seus passos eram largos e firmes, demonstrando ter pressa em chegar a seu destino. Ele trajava apenas um coturno, encoberto por uma surrada calça jeans azulada e uma camiseta regata simples, que provavelmente era da cor branca, antes de ficar completamente impregnada com a poeira da rodovia que margeava o deserto. Carregava consigo apenas uma mochila preta nas costas e um pequeno crucifixo prateado em seu pescoço.

Estava arfante, sujo e suado. A impressão que se tinha, era que ele estava caminhando por horas e horas neste mesmo ritmo frenético. Mas por que alguém em sã consciência faria isso? Ainda mais em uma estrada deserta e escura? Ele parecia preocupado, mas mesmo assim contido. De tempos em tempos, virava-se para trás como se quisesse assegurar-se de que não estava sendo seguido.

Estranhamente tudo estava parado e quieto. Quieto demais. Nem mesmo os sons dos animais noturnos se faziam presentes naquela noite de lua gibosa. Ele continuou caminhando e permaneceu assim por cerca de mais vinte minutos, até que finalmente parou. Pareceu sentir algo de diferente no ar. Mas ignorou momentaneamente seus sentidos ao avistar a uns setecentos metros a sua frente um ponto luminoso na escuridão. Correu aproximando-se para constatar se o brilho do neon vermelho e laranja com a inscrição "El Rancho Barstow" não era apenas efeito de sua permanecia sob o calor intenso do sol. Então, apertou ainda mais seus passos atraído pela luz forte do letreiro, mantendo sempre a mesma discrição e a atenção a tudo a sua volta, como se pudesse perceber algo no mais profundo da noite que mais ninguém conseguiria notar e cuidadosamente procurava não chamar sua atenção.

Sem pensar duas vezes, o jovem empurrou as portas do "saloon" e entrou no estabelecimento sem olhar para trás. Instantaneamente sentiu o choque térmico do ar quente colidindo contra seu corpo castigado pelo frio do cair da noite no deserto. Rapidamende o cheiro de álcool e principalmente do tabaco, os quais ja sentia a uma certa distância, agora começavam a queimar em seus pulmões devido a intensidade e proximidade. O coro de vozes aplicadas nos mais distintos diálogos possíveis, vinham de todos os pontos do salão e embaralhavam seus pensamentos. Ele tentou cordenar a loucura que acometia seus sentidos a medida em que caminhava para uma mesa livre. O lugar era amplo e bem decorado, o bar estava movimentado. Uma banda parecia estar fazendo os últimos ajustes no som para começar sua apresentação. Cadeiras e mesas antigas estavam espalhadas pelo local. Tudo ali inclusive as luzes que iluminavam o recinto davam um ar retrogrado, rústico mais muito aconchegante.

Por trás do grande balcão de madeira, uma mulher corpulenta e de olhar desconfiado encarava o recém chegado, enquanto limpava uma enorme caneca de cerveja com um pedaço de pano. Percebendo a insegurança da senhora, ele cumprimentou-a com um ligeiro movimento de cabeça e sentou-se, colocando sua mochila sobre a mesa. Constancia passou então a observá-lo. Seu cabelo era castanho, curto e tinha um estilo parecido com o militar. Sua pele era morena clara e parecia estar um pouco mais queimada no rosto, ombros e braços pela intensidade do sol da tarde. Ele era alto, certamente possuía mais de um metro e oitenta e tinha um físico atlético não muito freqüente para rapazes da sua idade. Seus olhos castanhos claros tinham um ar sério e ao mesmo tempo preocupado. Deveria ter aproximadamente dezenove anos, mais pelo seu porte e expressão, passaria facilmente por mais de vinte e um. Pela sua experiência de mais de quarenta anos de bar, certamente era mais um latino-americano ilegal encrencado com a imigração, isso na melhor das hipóteses...

Imediatamente ela foi até a mesa, puxou uma cadeira em frente a ele e sentou-se.

1 comentários:

Gabriel disse...

putz fio...ta cada vez melhor....senta a pua ai que ta bao tamem!!!Parabens pro c...

POST POPULARES