17.7.06

Introdução

Explicações e Apresentações




Sejam muito bem vindos estimados leitores ao "Stormriders - Hunting Grounds: Las Vegas", um blog de contos baseado em meu cenário particular de campanhas para o jogo: "Werewolf the Forsaken" da editora americana White Wolf. A trama desenrola-se na famosa cidade de Las Vegas e contará a saga de uma das matilhas em ascensão na verdadeira "Sin City" americana: os "Stormriders", mostrando o dia dia de seus componentes e a batalha constante que eles travam para manter o equilíbrio entre o mundo físico e o espiritual dentro de seu território...



- A Proposta de HG:LA Stormriders:

Desde quando idealizei a idéia de romancear a história, meu objetivo principal sempre foi tornar a narrativa o mais próxima do real o quanto fosse possível. Por isso, vocês encontrarão no Prólogo, um enfoque maior na riqueza descritiva dos personagens e suas vidas antes da descoberta de suas novas realidades, justamente em prol desse ar plausível que essa gama de informações trás nos acontecimentos que vão se desenrolando. Fiz isso justamente para deixar o texto acessível, tanto para leitores que não conhecem o jogo de RPG e no entanto são apreciadores da leitura de contos de aventura, como para esclarecer para aqueles que já tem uma bagagem "rpgistica"; de que o blog não se trata de mais um "diário de guerra" de pura pancadaria, mas sim um conto com texto coeso e profundidade, que descreve detalhadamente o caminho de jovens normais que conheceram uma outra realidade imposta em suas vidas e tiveram que aprender a lidar com suas novas responsabilidades e adversidades.

Mostrar os nuances e diferenças entre o cenário antigo e o novo é outra (se não a mais importante) das propostas. Esse foi o grande motivo que me fez usar a narrativa "passo a passo" neste projeto, além dos tópicos "Nota do Narrador", pelo menos durante o Prólogo, justamente para quem for leigo e se interessar em aprender mais sobre Destituídos, possa ir se habituando com o cenário junto com os personagens da trama...


- Sobre os Lobisomens (Uratha) de Werewolf the Forsaken

HG:LA - Stormriders, como mencionado acima, é um cenário próprio, baseado no livro Werewolf de Forsaken, lançado pela editora americana White Wolf e que foi traduzido e é distribuído aqui no Brasil pela editora Devir, com o título; Lobisomens os Destituídos. Para quem já conhece os antigos trabalhos da editora, sabe que esse novo jogo é o sucessor comercial de Lobisomem o Apocalipse, porém não é uma continuação do mesmo. Como seu antecessor, Destituídos ou Forsaken, é um jogo de interpretação construído com base nos mitos da cultura popular para criar uma visão única dos lobisomens, embora haja diferenças enormes entre Forsaken e seu antecessor.

Nessa nova perspectiva, os lobisomens são caçadores acima de tudo. Esse é seu dever e destino, são eles que devem manter o equilíbrio entre o Mundo Material e o Mundo Espiritual. Todos descendem do maior predador que já existiu e continuam o seu trabalho mantendo o espírito e a carne em seu devido lugar nos dois mundos. Os Uratha como são chamados, são meio-carne e meio-espiríto, tratados como aberrações pelos espíritos e distanciados dos humanos pela fera latente em seus interiores. Embora essencialmente eles sejam um pouco de ambos, eles jamais pertencerão efetivamente a qualquer uma dessas sociedades.

Eles se estabelecessem em matilhas e delimitam para si territórios, a partir dos quais, eles tentam cumprir seus papeis de vigias dos dois mundos enquanto tentam sobreviver em meio a tantos inimigos que os cercam de ambos os lados. O instinto lupino de se manter em alcatéias e a facilidade humana para criar laços formam um conjunto de indivíduos que é maior que qualquer família de ambas as raças. Os chamados territórios, são protegidos e almejados mais do que qualquer coisa em suas vidas, o que ocasiona lutas e disputas até mesmo entre os próprios Urathas de uma mesma cidade. Afinal, sempre haverá matilhas reivindicando melhores terrenos e expandindo seus domínios para locais mais abundantes em recursos tanto físicos como espirituais. Isso torna-se quase certo principalmente quando uma alcatéia vizinha demonstra-se inepta ao seu dever, o que torna cada disputa e batalha para manter a ordem dentro de cada território uma questão de vida ou morte.

Por fim, além da gama incontável de espíritos, os Destituídos encontram nos Puros uns dos seus principais inimigos nessa difícil empreitada. Seus irmãos perdidos, que os culpam por um crime de aconteceu no início dos tempos. Os Puros, que também são Uratha, caçam os Forsaken com todas as forças. Eles somente descansarão quando todos os Forsaken estiverem mortos...


- Os Bastidores de Stormriders

Em meados de 2004, um "boato profano" se espalhou pela internet afirmando que o Apocalipse realmente aconteceria na antiga linha de produtos do "Mundo das Trevas", o que significava que depois de quase 10 anos, o meu jogo preferido; Lobisomem o Apocalipse, chegaria literalmente ao fim. Não haveria mais lançamentos no exterior, suas publicações previstas para a língua portuguesa seriam canceladas e as que estavam em circulação entrariam para o "hall" dos artigos para colecionadores (fato que pouco tempo depois, veio realmente a se concretizar). Enquanto ainda me recuperava da notícia bombástica, um falatório sobre o lançamento de uma nova e reestruturada linha de jogos para o "World of Darkness" surgiu, cresceu e tomou forma, me trazendo novamente a esperança de poder ter os míticos transmorfos de volta a minha mesa de jogos, junto com uma linha novinha em folha de suplementos. Todos esperavam angustiados a continuação da batalha final, o que seria dos Garous após a épica batalha do apocalipse e como seria a nova sociedade dos lobisomens renascidos das cinzas do final dos tempos. Mas ao contrário de todas as expectativas, não haveria uma continuação, eles não eram mais Garous, eram Urathas e em algum momento do final de 2004 e começo de 2005, começava a entrar em cena um jogo completamente novo, apenas baseado em tudo que o antigo tinha sido.

Nos mandaram esquecer tudo o que sabíamos sobre o Apocalipse, limpar nossas mentes e começar do zero outra vez. Confesso que inicialmente achei aquilo uma heresia. Recebi o estreante Forsaken com um preconceito sem precedentes antes mesmo de tê-lo lido e compreendido seu contexto. Estava revoltado por ele ter sido o responsável pelo fim dos lançamentos do meu jogo predileto e não queria ver os Destituídos nem pintados de ouro durante aquele periodo nebuloso de informações desencontradas. Mas meu fascínio pelo mito do lobisomens, aliado a minha curiosidade, falaram mais alto. Ambas somadas a empolgação do Murruy, um grande amigo meu que aguardava anciosamente os novos lançamentos, em vista do exelente trabalho que haviam feito com Vampire the Réquiem. Mal haviam disponibilizado as regras básicas ainda em inglês no site oficial e ele ja as havia impresso e as trazido para darmos uma conferida na nova proposta do jogo. Juntos, eu e esse grande amigo nos aprofundamos na temática do jogo e aos poucos fomos descobrindo aquele que em nossa opinião, era provavelmente o melhor jogo de todos que haviam sido publicados para o novo Mundo das Trevas até então. Simplesmente adoramos, estava mais animalesco, brutal e maduro, não lutaríamos mais uma batalha perdida, lutaríamos pelo que é nosso e por dever. O ressentimento com o novo cenário rapidamente havia desaparecido, eles realmente conseguiram fazer algo melhor. Do antigo jogo, restaram apenas as boas lembranças das inúmeras aventuras. Estávamos realmente empolgados com todas as novas possibilidades que tínhamos pela frente. Logo chamamos nossos outros companheiros de matilha e tratamos de esboçar novos personagens e imaginar que território na face do globo seria o melhor para receber todo aquele turbilhão de idéias latentes.

Inicialmente tínhamos em mente fazer com que a campanha se passasse em nosso próprio bairro, com personagens brasileiros e cercado por tudo o que já conhecíamos desde a infância. Já havíamos até jogado uma pequena introdução com o personagem que viria a ser o atual Steve, mas quando enfim nos reunimos com os outros jogadores que viriam formar a matilha dos Stormriders, tudo repentinamente mudou de rumo. Enquanto discutíamos e bebíamos, um ronco de motor de uma Harley-Davidson vindo da TV que estava ligada ao fundo chamou nossa atenção. Pelo que me recordo, passava um episódio de American Choppers e eles estavam testando uma motocicleta incrível numa estrada que parecia não ter fim. Imaginar a sensação de liberdade, o vento no rosto, a imagem de rebeldia implícita naquela cena, mesclada com toda a nova mitologia dos Forsaken, foi o agente catalisador da grande mudança. Naquele instante nasceu a idéia dos Stormriders. A matilha originalmente de Iron Masters de Las Vegas que patrulhava seu território físico e espiritual sobre motos fetiche, agora estava prestes a receber seus novos integrantes. Steve arrumou naquele mesmo instante suas malas, e de São Paulo, partiu em uma viagem em busca de respostas que definiriam seu futuro no Novo México, coincidentemente onde o jovem músico escandinavo Klaus, faria sua primeira apresentação em solo americano e em fim, depois de muitas aventuras e descobertas, encontrariam Paul, Ray e Mike e juntos fariam com que os espíritos do deserto estremecessem mais uma vez ao ouvir novamente o nome da matilha dos Stormriders ecoando pela Hisil...


- Considerações Finais

Queria sinceramente agradecer e dedicar esse blog a todos que gostam de "perder seus tempos valiosos lendo esse pedaço de cultura inútil no meio da rede mundial", também não posso deixar de mencionar meus inseparáveis companheiros de matilha, sem os quais não teria o prazer de poder relatar nossos feitos aqui, o Murruy, a mente fervilhante e meu parceiro na criação do cenário de Las Vegas, a toda galera da comunidade do orkut, tanto do LoA como dos Stormriders, o Leandro Novo, meu brother colaborador aqui do blog e um dos meus principais incentivadores, ao pessoal do grupo de discussão do World of Darkness Brasil, que me dão o maior apoio e a todos aqueles que curtem e de alguma forma divulgam e não só os Stormriders mais o RPG em geral...

Muito obrigado a todos!

7 comentários:

Alexandre disse...

Felipe e Eduardo, eu invejo voces pela criatividade e carisma de ambos. Se nao jogo RPG com vcs eh pq nao me sinto solto o suficiente para jogar com mentes tao brilhantes

Murruy disse...

Ae felipeta... parabens pelo blog capaz de organizar toda a bagunça q ocorre pela mesa de jogo e dar um sentido nas ideias meio amalucadas q eu tenho as vezes... Espero ansiosamente pela aparição da "Yaga"

:P

Allison disse...

Já mestro Vampiro A Máscara a uns 10 anos. O Apocalipse nunca me chamou muita atenção, mas este novo sistema parece ser muito bom. Comecei a ler Os Destituídos esta semana, ja estou eleborando uma crônica pra mestrar para o meu grupo. Muito boa essa iniciativa de vocês. Parabéns! Vida longa ao RPG e aos Storm Riders.

Timbu Wolf disse...

Muito interessante o blog, tanto que me inspirou a criar também um "diário de mesa" para meu grupo. Concordo no tocante do novo cenário, Lobisomem Forsaken, ser bem melhor que o antigo, que era muito bom, mas de certa forma incongruente, pois priorizava as questões ambientais na figura centralizadora da Deusa Gaia em detrimento da natureza furiosa e primitiva dos Lobisomens.

Rafael Araujo disse...

Parabens pelo Trabalho!!!
Diagramação linda!!

1212 disse...

Fico feliz que existam rpgistas que escrevam em tão alto nível! Sou o tipo do cara que começou a apreciar a leitura muito tarde depois 24 anos. Enfim tenho muitas dificuldades em ler os texos pois a maioria "forço" para ler, porém confesso que meu olhos deslizam sobre sua obra, como as mãos de um amante a acariciar a pele lisa, suave e delicada de uma linda jovém.
Parabéns pela obra, gostaria de ter tecnicas assim para escrita.

Pride disse...

Fala caras, poxa, se não for tarde demais, gostaria de agradecer realmente os elogios. Muito Obrigado mesmo! Tive um período de transição pessoal e profissional nesses últimos três anos. Troquei um emprego interno por um o qual fico mais longe do pc, tive um filhinho, e quem tem um sabe o quanto a rotina muda, e até que me adaptasse a tudo isso deixei de lado um dos meus hobbies preferidos que é esse blog. Mas aos fiéis e pacientes leitores, eu prometo que ele ainda não acabou, e que com certeza a história vai continuar...

POST POPULARES